o caminho para a felicidade

Este blog é nada mais que o relato da minha luta contra a compulsão alimentar. O caminho a percorrer pode ser longo e difícil, mas eu vou conquistar a minha felicidade! Eu sou capaz.

03 setembro 2006

Regressei de férias! (1)

Este Verão fiz 29 anos. 29 anos! Uma vida de ansiedades, angústias inúteis, sofrimentos recalcados e complexos irracionais. Também foi uma vida com momentos alegres, amizades, muito amor, paixão, sucessos e insucessos, mas acima de tudo foi uma vida VIVIDA.
Assusta-me um pouco o passar do tempo, porque a ideia de mortalidade torna-se mais presente e porque começo a pensar que muitos dos meus sonhos vão ficar para trás, alguns deles inacabados, outros completamente esquecidos, …
Há um tempo atrás, fiz uma lista de coisas que eu queria fazer antes de ter filhos. Algumas dessas coisas já fiz: aprender a nadar, comprar casa, mobilar a casa. Mas, a maior parte ainda não saiu do papel: saltar de pára-quedas, fazer bunjee jumping, fazer mergulho, obter uma fonte de rendimento individual estável, passar o Carnaval no Rio de Janeiro e a passagem de ano em Nova Iorque, etc.
Mas acima de tudo… antes de engravidar, quero ter controlada a questão da alimentação. Não quero que os meus filhos passem por aquilo que eu passei, quero que tenham em casa bons exemplos e quero estar suficientemente livre das compulsões para poder ser uma pessoa normal, uma mãe normal…
Se eu atingir o meu peso ideal no final deste ano e o mantiver durante dois anos (até ao final de 2008), então, aí, posso começar a pensar ter filhos. No mínimo dois anos sem grandes retrocessos, caso contrário, não me permito condicionar a vida de uma criança que não tem culpa de a mãe ser como é.

2 Comments:

At terça-feira, setembro 05, 2006, Blogger António Campos said...

Olá. Viva de novo.
O teu comportamento em relação à alimentação vai "condicinar" a vida das crianças?
Não estás a sobrevalorizar a coisa?
Tenhas tu muito amor e tempo para lhes dar...

 
At terça-feira, setembro 05, 2006, Blogger Laurita Catita said...

Oi...Oi...Oi...Que bom que estás de volta!Uma mãe desde que tenha amor e carinho para dar aos filhos é sempre uma boa mãe!Seja gorda ou magra...As crianças são do melhor que há no mundo!!!Fica bem.Beijinhos coloridos.

 

Enviar um comentário

<< Home