o caminho para a felicidade

Este blog é nada mais que o relato da minha luta contra a compulsão alimentar. O caminho a percorrer pode ser longo e difícil, mas eu vou conquistar a minha felicidade! Eu sou capaz.

02 abril 2006

Estou melhorando...


Olá!
Sei que tenho andado ausente, mas não tenho tido tempo livre. Às vezes venho à net para ler os vossos blogs e deixar um comentário ou outro, mas não tenho tido tempo para postar. Tenho montes de novidades!
Há cerca de duas semanas atrás, o meu marido alertou-me para o facto do meu comportamento poder colocar em risco o nosso casamento. Disse que me amava muito, mas que a forma como eu estava a reagir estava a saturar a relação e ele temia que com o tempo isso pudesse minar o nosso relacionamento. Disse que sentia saudades minhas, de quando eu era alegre e mais positiva. Pediu-me para procurar ajuda e deu-me o seu apoio para o que fosse preciso.
No dia a seguir, sem saber desta conversa, a minha mãe disse-me mais ou menos a minha coisa e olhem que a minha mãe não é muito extrovertida, por isso, para ter esta conversa comigo é porque estava mesmo preocupada. Disse-me que sentia que eu andava desanimada e que estava cada vez mais em baixo, que já nem me arranjava como antes, que até parecia mais velha, que tinha que cuidar de mim e deitar as tristezas para trás das costas, que havia muita gente com problemas muito mais graves e que eu tinha que me concentrar nas coisas boas que tinha e não perder a esperança.
Assim, incentivada por estas duas pessoas muito importantes na minha vida, no dia 23 fui à minha médica de família com quem me dou bastante bem em busca de algum esclarecimento: deveria consultar um psicólogo ou um psiquiatra? Deveria fazer algum tipo de tratamento? O que é que se passava comigo?
O discurso dela pareceu-me muito coerente. Quanto a psicólogos e psiquiatras, ela aconselhou-me alguém que praticasse a chamada psicologia comportamental, mas ressalvou o facto de achar que eu não precisava disso. Não me desencorajou a procurar esse tipo de ajuda, mas, na sua opinião pessoal, um psicólogo só me iria dizer aquilo que eu já sei. Às vezes, é preferível um amigo sincero a um psicólogo. Pelo menos sempre fica mais barato!
Resumindo, tal como o psiquiatra que já tinha consultado há alguns anos atrás me tinha dito, a minha personalidade é dada a estados depressivos, que podem não ter consequências graves, se eu souber lidar com eles. Ou seja, arranjar estratégias de fuga: sair, passear, fazer coisas que gosto, não adiar os problemas, porque isso só aumenta a ansiedade, praticar desporto, etc. Ou seja, tudo aquilo que nós já sabemos! Convém que a comida não seja utilizada como uma dessas estratégias de fuga, o que, infelizmente, é o que tem acontecido.
Para além disso, tenho tendência para a depressão sazonal (o que um outro médico também já me tinha dito), ou seja, entre Setembro e Fevereiro, os estados depressivos aumentam e de Março a Agosto, diminuem. Isso deve-se, em parte, à falta de sol e à actividade sedentária que o tempo de Inverno proporciona. O sol faz o nosso corpo libertar uma hormona – serotonina – que nos faz sentir bem, alegres. Essa mesma hormona é libertada, por exemplo, quando rimos, quando nos divertimos, quando fazemos exercício físico, etc. O facto de em Setembro estar desempregada também contribui para eu andar mais em baixo.
Conclusão: A palavra chave é estratégias! E claro, receitou-me um anti-depressivo para me dar o impulso que preciso para sair do abismo.
Desde então tenho-me sentido muito melhor. Não foi algo imediato, mas sim progressivo. Aos poucos, sinto-me mais motivada. A minha vida familiar e amorosa anda muito melhor e sinto que aos pouquinhos estou a sair do poço escuro em que me encontrava. Mesmo a nível da alimentação estou a tomar mais cuidado e já não tenho nenhum ataque há dois dias!
Hoje, sinto-me feliz. Amanhã não sei. Mas espero que continue assim!

4 Comments:

At segunda-feira, abril 03, 2006, Blogger Luna said...

Linda, q bom q te sentes assim melhor :)
às vezes o mais dificil é mesmo dar esse primeiro passo, tu pareces ter encontrado um caminho e isso é mto importante... espero q esta fase boa se perlongue por mto tempo e consigas dar a volta! Mereces ser feliz :)

Beijinhos e força

 
At segunda-feira, abril 03, 2006, Anonymous caralinda said...

Olha os antidepressivos tratam os sintomas as psicoterapias as causas, acho que a tua médica fez uma confusão entre amigos e psicólogos que não tem nada a ver uma coisa com outra, e o que acontece é que sem o apoio da psicoterapia normalmente quando se deixa o anti-depressivo os sintomas retornam porque a causa da depressão continua lá, não sei se já sentiste isso porque já tomaste antes não foi??!! Existem especialistas para essa área que não são os amigos pois estes não são especializados em técnicas importantes para intervir nas depressões!! São os amigos que dizem aquilo que já sabemos e não os psicólogos... Para mim os amigos são muito importantes mas como a tua médica os comparou aos psicólogos não te esclareceu muito bem.....Espero que não leves a mal....senti necessidade de te esclarecer....E trabalho tb com médicos de família que para mim têm um papel funadamental no esclarecimento das funções de cada técnico, e muitas vezes sabem reconhecer quando é necessário outro tipo de intervenção...
beijinhos grandes e ainda bem que te sentes muito melhor!!

 
At quarta-feira, abril 05, 2006, Blogger Kika said...

Olá linda kittie!
Espero que tudo fique bem para que possas desfrutar de tudo o que tens na vida!
Espero mesmo que apareça uma luzinha ai e que volte toda a felicidade q havia dentro de ti! uma beijoka***

 
At quarta-feira, abril 05, 2006, Blogger dani said...

Olá!

Fico feliz por saber que estás "melhor". Ainda bem que tudo se está a resolver.

Boa semana.

Beijinhos

 

Enviar um comentário

<< Home